ALAMBIQUE

A qualidade na produção das nossas cachaças começa no preparo do solo. Com a orientação de especialista, o solo é corrigido e adubado. Após as correções necessárias é feito o plantio com mudas selecionadas, visando garantir a melhor relação “quantidade de caldo e concentração de sacarose”.

 

O corte da cana é feito manualmente, isento de queimadas, sendo a quantidade cortada definida de acordo com a produção diária planejada, garantindo, portanto, o uso da matéria prima “fresca”.

Ao chegar na moenda, a cana já foi raspada e limpa.

A lavagem da moenda, dos tubos de aço inox, do decantador e da dorna diluidora é feita com água pressurizada, provida pelo poço artesiano de nossa propriedade.

 

A peneira de aço inox, instalada na moenda, garante o total recolhimento dos bagacinhos do caldo, previamente à etapa de decantação. Por gravidade, o caldo de cana passa pelo decantador e pela dorna diluidora. Após a padronização do caldo a 15° na escala brix, o já denominado mosto vai para as dornas de fermentação.

O fermento utilizado em nossa produção foi desenvolvido pela Universidade Federal de Minas Gerais, denominado de CA 11, para garantir um excelente padrão de qualidade. O mosto, ao atingir zero grau na escala brix, é conduzido, por gravidade, ao alambique para a etapa de destilação.

O alambique é composto por máquinas e utensílios de alta qualidade e tecnologia, adquiridos na fábrica de alambiques Santa Efigênia, em Itaverava/MG. A fornalha do alambique é abastecida com o próprio bagaço da cana e peças de eucalipto cultivadas em nossa propriedade. A preservação do meio ambiente é fator de honra para a nossa empresa.

O produto da destilação é separado em três partes: cabeça, coração e cauda. A nossa cachaça é feita exclusivamente com o coração, a parte mais nobre da destilação, livre de contaminantes prejudiciais à saúde, ao sabor e ao aroma. O coração é transferido para as dornas de maturação para descanso, por um período mínimo de 90 dias.

Após este período, a cachaça nobre e especial é transferida para dornas de aço inox para armazenamento, maturação e suavização.

 

 A cachaça, após a maturação, é armazenada em tonéis de madeira, dentre os quais predominam o carvalho, a amburana, o bálsamo e a castanheira.

Durante o período da moenda e destilação, em cada semana são desenvolvidos os testes de acidez e cobre para garantir os índices exigidos pela legislação vigente. Caso ocorra alguma anormalidade nos testes, todo produto é bidestilado e se persistir será descartado.